TAP.06 – Trabalhadores da Chesf e da Edia: impacto das obras na vida dos moradores atingidos pelo empreendimento

Sobre a autora

RAMALHO, Maria

TAP.06

Maria do Socorro Ramalho Braga, 59 anos de idade, filha de Antônio Nunes e de Expedita Ramalho. Cidadã Petrolandense, Maria é professora pesquisadora da rede Estadual do Ensino Médio e Superior. Doutoranda em História Contemporânea pela (UC - Universidade Coimbra-Portugal), Mestre em História da Educação pela Universidade Lusófona de Lisboa, Portugal. Licenciada em História pela Universidade do Estado de Pernambuco. Autora do livro O Último no Trem: Memória dos deslocados compulsórios da cidade de Petrolândia (Editora Novas Edições Acadêmicas,2020). E dos Artigos Trabalhadores da CHESF e da EDIA: O Impacto das Obras na Vida dos Moradores Atingidos pelos Empreendimentos das Hidrelétricas de Itaparica e Alqueva - publicado na Revista Rios-UNIRIOS. Centro Universitário de Paulo Afonso/BA.  Edição dezembro,2020. "O Conto Exposto Pela Narrativa Oral, como Democratização e Incentivo ao Ensino da Literatura" Publicado nos Anais do XIII Encontro Estadual de História - História e Mídias: Narrativas em Disputas. ANPUH-PE. julho de 2020.  Remodelando as Memórias dos Deslocados Compulsórios na cidade de Petrolândia, Brasil e Aldeia da Luz. Portugal (1997/2002. Publicado nos Anais do IX Encontro ANPUH-DF “Pesquisas e Ensino e Ensino de História: a profissão do historiador e historiadora – perspectivas e desafios do século XXI,” dezembro de 2020. Maria é Membro da Associação Nacional de História - ANPUH-Brasil e do editorial da revista CLIO da Universidade Federal de Pernambuco.

Sobre o trabalho

Tipo

Artigo científico

RESUMO

As obras realizadas pelas empresas CHESF, no Brasil e EDIA, em Portugal para a construção das grandes hidrelétricas de abastecimento e distribuição de energia elétrica para as regiões do nordeste brasileiro e do Alentejo em Portugal, levaram a interação dos moradores a serem reassentados com os trabalhadores que foram atingidos temporariamente pelas obras. O artigo tem por objetivo compreender quem foram os trabalhadores das obras hidrelétricas e qual foi o impacto da interação dessas pessoas com os moradores de Petrolândia e da Aldeia da Luz em um estudo comparativo. Para a realização da pesquisa foi utilizada o procedimento metodológico da revisão bibliográfica com abordagem qualitativa, em que repositórios digitais de dados foram consultados. Com a pesquisa conclui-se que os trabalhadores das duas empresas foram contratados por representarem uma mão de obra mais barata, o que impactou diretamente na qualidade das construções das novas cidades. A dinâmica dos moradores, tanto de Petrolândia, quanto da Aldeia da Luz foi alterada e marcada por conflitos com as empresas
construtoras.

PALAVRAS-CHAVE

1. Impactos 2. Hidroelétricas 3. Petrolândia 4. Aldeia da luz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s