TAP.05 – A preservação de memória como patrimônio: estudo comparado entre os casos Petrolândia, Brasil e Aldeia da Luz, Portugal

Sobre a autora

RAMALHO, Maria

TAP.05

Maria do Socorro Ramalho Braga, 59 anos de idade, filha de Antônio Nunes e de Expedita Ramalho. Cidadã Petrolandense, Maria é professora pesquisadora da rede Estadual do Ensino Médio e Superior. Doutoranda em História Contemporânea pela (UC - Universidade Coimbra-Portugal), Mestre em História da Educação pela Universidade Lusófona de Lisboa, Portugal. Licenciada em História pela Universidade do Estado de Pernambuco. Autora do livro O Último no Trem: Memória dos deslocados compulsórios da cidade de Petrolândia (Editora Novas Edições Acadêmicas,2020). E dos Artigos Trabalhadores da CHESF e da EDIA: O Impacto das Obras na Vida dos Moradores Atingidos pelos Empreendimentos das Hidrelétricas de Itaparica e Alqueva - publicado na Revista Rios-UNIRIOS. Centro Universitário de Paulo Afonso/BA.  Edição dezembro,2020. "O Conto Exposto Pela Narrativa Oral, como Democratização e Incentivo ao Ensino da Literatura" Publicado nos Anais do XIII Encontro Estadual de História - História e Mídias: Narrativas em Disputas. ANPUH-PE. julho de 2020.  Remodelando as Memórias dos Deslocados Compulsórios na cidade de Petrolândia, Brasil e Aldeia da Luz. Portugal (1997/2002. Publicado nos Anais do IX Encontro ANPUH-DF “Pesquisas e Ensino e Ensino de História: a profissão do historiador e historiadora – perspectivas e desafios do século XXI,” dezembro de 2020. Maria é Membro da Associação Nacional de História - ANPUH-Brasil e do editorial da revista CLIO da Universidade Federal de Pernambuco.

Sobre o trabalho

Tipo

Artigo científico

RESUMO

A memória faz parte operante do cotidiano humano contribuindo para o estudo de inúmeras disciplinas, como antropologia, sociologia e história. Esse estudo busca analisar a importância da memória como elemento no estudo de comunidades, seja pelo ponto de vista histórico, antropológico ou sociológico, evidenciando e analisando a conexão entre memória coletiva e preservação de patrimônio histórico. E consequente oferecendo novas análises sobre o modo como patrimônios históricos são sacrificados por questões de desenvolvimento econômico e não de preservação. A influência da memória no conceito de memória é comumente definida como: “faculdade de lembrar e conservar ideias, imagens, impressões, conhecimentos e experiências adquiridas no passado e habilidade de acessar essas informações na mente.” Nesse sentido, ela é uma parte operante da consciência humana e sua existência possibilita a conexão entre passado, futuro e presente, estando intrinsecamente conectada não só na formação da identidade humana, mas na visão de tempo que apresentamos nas tomadas de decisão e na formação de sociedades e comunidades.

PALAVRAS-CHAVE

1. Memória coletiva 2. Preservação 3. Património histórico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s