Postagens recentes

Destaque

Jornal Correio do Sertão

Página 1 Edição 01 de 04.10.1934

Página 2 Edição 1 de 04.10.1934

Página 3 Edição 1 de 04.10.1934

Página 4 Edição 1 de 04.10.1934

Pagina 1 Edição 2 de 14.10.1934

Página 2 Edição 2 de 14.10.1934

Página 3 Edição 2 de 14.10.1934

Página 4 Edição 2 de 14.10.1934

Página 1 Edição 3 de 21.10.1934

Página 2 Edição 3 de 21.10.1934

Página 3 Edição 3 de 21.10.1934

Página 4 Edição 3 de 21.10.1934

Página 1 Edição 4 de 28.10.1934

Página 2 Edição 4 de 28.10.1934

Página 3 Edição 4 de 28.10,1934

Página 4 Edição 4 de 28.10.1934

Página 1 Edição 5 de 04.11.1934

Página 2 Edição 5 de 04.11.1934

Página 3 Edição 5 de 04.11.1934

Página 4 Edição 5 de 04.11.1934

Página 1 Edição 6 de 11.11.1934

Página 2 Edição 6 de 11.11.1934

Página 3 Edição 6 de 11.11.1934

Página 4 Edição 6 de 11.11.1934

Página 1 Edição 7 de 18.11.1934

Página 2 Edição 7 de 18.11.1934

Página 3 Edição 7 de 18.11.1934

Página 4 Edição 7 de 18.11.1934

Página 1 Edição 8 de 25.11.1934

Página 2 Edição 8 de 25.11.1934

Página 3 Edição 8 de 25.11.1934

Página 4 Edição 8 de 25.11.1934

Página 1 Edição 9 de 02,12,1934

Página 2 Edição 9 de 02.12.1934

Página 3 Edição 9 de 02.12.1934

Página 4 Edição 9 de 02.12.1934

Página 1 Edição 10 de 09.12.1934

Página 2 Edição 10 de 09.12.1934

Página 3 Edição 10 de 09.12.1934

Página 4 Edição 10 de 09.12.1934

Página 1 Edição 11 de 16.12.1934

Página 2 Edição 11 de 16.12.1934

Página 3 Edição 11 de 16.12.1934

Página 4 Edição 11 de 16.12.1934

Página 1 Edição 12 de 23.12.1934

Página 2 Edição 12 de 23.12.1934

Página 3 Edição 12 de 23.12.1934

Página 4 Edição 12 de 23.12.1934

Página1 Edição 13 de 30.12.1934

Página 2 Edição 13 de 30.12.1934

Página 3 Edição 13 de 30.12.1934

Página 4 Edição 13  de 30.12.1934

Página 1 Edição 14 de 06.01.1935

Página 2 Edição 14 de 06.01.1935

Página 3 Edição 14 de 06.01.1935

Página 4 Edição 14 de 06.01.1935

Página 1 Edição 15 de 13.01.1935

Página 2 Edição 15 de 13.01.1935

Página 3 Edição 15 de 13.01.1935

Página 4 Edição 15 de 13.01.1935

Página 1 Edição 16 de 20.01.1935

Página 2 Edição 16 de 20.01.1935

Pagina 3 Edição 16 de 20.01.1935

Página 4 Edição 16 de 20.01.1935

Página 1 Edição 17 de 27.01.1935

Página 2 Edição 17 de 27.01.1935

Página 3 Edição 17 de 27.01.1935

Página 4 Edição 17 de 27.01.1935

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Destaque

Quem somos?

Este é o resumo do post.

O que é?

O Instituto Geográfico e Histórico de Petrolândia –  é uma pessoa jurídica de direito privado, com prazo indeterminado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, formada por número ilimitado de associados.

Finalidade

O Instituto tem como finalidade a promoção de estudos para o desenvolvimento e  difusão do conhecimento da História, Geografia e ciências afins, especialmente do município de Petrolândia, assim como a defesa do meio ambiente, da cultura e o seu patrimônio.

 

DISPUTA DE TERRAS ENTRE ÍNDIOS E POSSEIROS NAS TERRAS DE JATOBÁ

Trata da disputa de terras entre os índios do Brejo dos Padres e o povo residente do Bemquerer, Caxiado, Caixão, Brejinho do Correia e Brejinho de Fora . 

A REPARAÇÃO DE UMA GRANDE INJUSTIÇA  Artigo escrito por *Hildebrando Menezes , publicado no Jornal do Comercio de 14.03.1951.

* Jornalista, escritor, foi Prefeito de Petrolândia (quando ainda se chamava  Itaparica),   Deputado Estadual, Proprietário do Jornal Correio do Sertão e Editor Chefe do Jornal Correio da Pedra. É autor do livro “Delmiro Gouveia, Vida e morte” e outros.

GINÁSIO MUNICIPAL DE PETROLÂNDIA

DOCUMENTO DE FUNDAÇÃO  ” O prefeito Amaro José da Silva resolveu dotar o município de um curso ginasial onde os que haviam concluído o curso primário pudessem continuar os estudos, deparando-se de imediato com três problemas: falta de prédio capaz de abrigar o curso atendendo às exigências do MEC foi o primeiro; e, segundo lugar a falta de recursos da Prefeitura para assumir ps gastos e em último lugar a falta de professores habilitados. Mas nada é impossível quando há boa vontade. Logo surgiram as soluções:

a) enquanto não fosse possível a construção de um prédio próprio seriam ocupadas as salas inativas do Grupo Escolar Delmiro Gouveia, que ele mesmo havia inaugurado, nos turnos vespertino e noturno;

b) os alunos pagariam uma mensalidade, devendo a Prefeitura conceder bolsas de estudo aos alunos que não tivessem condições de fazê-los;

c) seriam contratadas as professoras do Grupo Escolar Delmiro Gouveia para as matérias em que se julgassem habilitadas. Para as matérias restantes seriam convidados profissionais liberais, funcionários públicos etc. que fossem capazes de ministrá-las.

Para dirigir o recém-criado estabelecimento o prefeito convidou o Padre Pedro Gabriel de Vasconcelos, Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Saúde, que aceitou o cargo mas chamou a atenção para sua inexperiência em organização e administração de estabelecimentos escolares. Tudo, porém foi resolvido com a atuação decidida do Dr. JOSÉ MEDEIROS DE SOUZA, administrador do Núcleo da Barreira que aceitou o cargo de Inspetor de Ensino e pôs à disposição do ginásio Maria Otília Netta Costa, então Orientadora Educacional da Comissão do Vale do São Francisco que cursava Filosofia na Universidade Federal de Pernambuco.”

( Extraído do livro DE JATOBÁ A PETROLÂNDIA – Três nomes, uma cidade, um povo, MENEZES, Gilberto de. Editora Bagaço, 2014)

Em 1964 ,  JOSE ARAUJO DA SILVA toma posse como prefeito e dá continuidade a construção do prédio do ginásio ampliando suas instalações. Criou o Colégio Comercial São Francisco e o Colégio Normal Municipal de Petrolândia que passam a funcionar no mesmo prédio, depois de terem utilizado as instalações do antigo escritório do DNOCS  (Curso de Contabilidade) por breve período.

Em 1977, assume a prefeitura JOSE DANTAS DE LIMA, implanta  a gratuidade do ensino municipal. Em 03/06/1982, ainda em sua gestão , pela portaria 42/56, passa para o Estado o Ginásio e os demais Colégios  com o nome de ESCOLA DE JATOBÁ – Ensino de 1º e 2º Graus.

Fonte:  DE JATOBÁ A PETROLÂNDIA – Três nomes, uma cidade, um povo,  MENEZES, Gilberto de. Editora Bagaço, 2014.= pags. 143 , 145 e 151.

PUBLICAÇÕES DE ORIENTAÇÃO E INFORMAÇÃO À POPULAÇÃO ATINGIDA PELA BARRAGEM.

Publicações fruto do processo de informação e formação produzidas pelos vários atores envolvidos ( Chesf, Polo Sindical, Igreja , etc.) na construção da barragem.

O PÓLO SINDICAL E A LUTA DOS ATINGIDOS PELA BARRAGEM DE ITAPARICA –   Publicação do Pólo Sindical do Submédio São Francisco – Trata das transformações operadas no Vale do São Francisco pela execução de políticas públicas desenvolvimentistas,  e da reação da população por meio das organizações civis.

OFICINA DO SÃO FRANCISCO –   Registro da Oficina de Trabalho realizada de 21 a 25 de maio de 1991 com o tema  ” DESENVOLVIMENTO E IMPACTOS AMBIENTAIS NO VALE DO SÃO FRANCISCO, no IV Congresso Nordestino de Ecologia, realizado em Recife.

MUDAR PARA MELHOR  Cartilha de orientação ao povo da área rural  a ser inundada pela barragem Luiz Gonzaga . Editada  pela ACS/DIR/CHESF  em 1988.