BANDEIRA DE PETROLÂNDIA

Durante o primeiro mandato do Prefeito José Dantas de Lima (1977- 1982), o colégio Municipal São Francisco , que ministrava o curso de contabilidade, sob a direção de Maria do Socorro Nunes de Souza ( Maria de Santo) organizou um concurso aberto a todos os alunos da rede municipal, inclusive os do Núcleo Colonial de Barreiras, com o objetivo de elaborar um escudo representativo , visando a criação da Bandeira do Município.

Contando com o apoio da Prefeitura, que se comprometeu a premiar o vencedor, o projeto tinha como critério a obrigatoriedade de fazer constar no seu desenho características específicas do nordeste e do município e trazer em destaque o rio São Francisco, tão importante para a região.

Alunos de todas as idades se inscreveram. Sob a orientação da professora Maria Leonor Lima e Sá os desenhos foram elaborados, na escola, todos ao mesmo tempo, e em seguida apresentados a uma banca examinadora formada por professores do Colégio.

Ao final, apresentando a mesma paisagem em dois formatos ,Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é projeto-2.jpgEsta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é projeto-1.jpg

o aluno do curso de contabilidade , ARNALDO JOSÉ DE SOUZA,                            , hoje respeitado contador, venceu o concurso.

.Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é whatsapp-image-2020-05-06-at-12.45.35.jpeg

Como prêmio ganhou a dispensa de pagamento de uma anuidade do curso técnico em Contabilidade, que frequentava no Colégio São Francisco.

Passando a ser utilizado como brasão presente na bandeira e documentos oficiais, o projeto vencedor foi reelaborado a fim de se adequar à legislação em vigor. Ganhou as cores da bandeira Nacional; o sol e o mandacaru, respectivamente símbolo do clima causticante do sertão e da flora nordestina foram mantidos; e o rio São Francisco foi complementado por seus afluentes Moxotó e Mandantes, marcos fronteiriços do município na época.Ao topo do escudo, o leão, símbolo da bravura do povo pernambucano, a representar a proteção do Estado.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é brasc383o.png

Trazendo as cores azul e branco da bandeira de Pernambuco , a primeira bandeira confeccionado para o município teve o brasão pintado à mão pela jovem petrolandense, Leone Cruz.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é bandeira.jpg

Apesar de ter passado logo a ser utilizado, somente em 17.08 2016 a obrigatoriedade do uso do brasão é oficializado, após a provação pela Câmara do projeto de Lei 145/2016, apresentado pelo então vereador Carlos Alberto Araújo Correia.

Pesquisa: Paula Rubens

BATISTÉRIOS DE TACARATU SEC IX

BATISTÉRIOS DE TACARATU SEC IX  Registros de batismos realizados na Paróquia de Tacaratu  no Século IX. Acervo pertencente a paróquia, cujo arquivo físico vem sendo digitalizado pelo Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco com contribuição voluntária do IGH Petrolândia.

GINÁSIO MUNICIPAL DE PETROLÂNDIA

DOCUMENTO DE FUNDAÇÃO  ” O prefeito Amaro José da Silva resolveu dotar o município de um curso ginasial onde os que haviam concluído o curso primário pudessem continuar os estudos, deparando-se de imediato com três problemas: falta de prédio capaz de abrigar o curso atendendo às exigências do MEC foi o primeiro; e, segundo lugar a falta de recursos da Prefeitura para assumir ps gastos e em último lugar a falta de professores habilitados. Mas nada é impossível quando há boa vontade. Logo surgiram as soluções:

a) enquanto não fosse possível a construção de um prédio próprio seriam ocupadas as salas inativas do Grupo Escolar Delmiro Gouveia, que ele mesmo havia inaugurado, nos turnos vespertino e noturno;

b) os alunos pagariam uma mensalidade, devendo a Prefeitura conceder bolsas de estudo aos alunos que não tivessem condições de fazê-los;

c) seriam contratadas as professoras do Grupo Escolar Delmiro Gouveia para as matérias em que se julgassem habilitadas. Para as matérias restantes seriam convidados profissionais liberais, funcionários públicos etc. que fossem capazes de ministrá-las.

Para dirigir o recém-criado estabelecimento o prefeito convidou o Padre Pedro Gabriel de Vasconcelos, Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Saúde, que aceitou o cargo mas chamou a atenção para sua inexperiência em organização e administração de estabelecimentos escolares. Tudo, porém foi resolvido com a atuação decidida do Dr. JOSÉ MEDEIROS DE SOUZA, administrador do Núcleo da Barreira que aceitou o cargo de Inspetor de Ensino e pôs à disposição do ginásio Maria Otília Netta Costa, então Orientadora Educacional da Comissão do Vale do São Francisco que cursava Filosofia na Universidade Federal de Pernambuco.”

( Extraído do livro DE JATOBÁ A PETROLÂNDIA – Três nomes, uma cidade, um povo, MENEZES, Gilberto de. Editora Bagaço, 2014)

Em 1964 ,  JOSE ARAUJO DA SILVA toma posse como prefeito e dá continuidade a construção do prédio do ginásio ampliando suas instalações. Criou o Colégio Comercial São Francisco e o Colégio Normal Municipal de Petrolândia que passam a funcionar no mesmo prédio, depois de terem utilizado as instalações do antigo escritório do DNOCS  (Curso de Contabilidade) por breve período.

Em 1977, assume a prefeitura JOSE DANTAS DE LIMA, implanta  a gratuidade do ensino municipal. Em 03/06/1982, ainda em sua gestão , pela portaria 42/56, passa para o Estado o Ginásio e os demais Colégios  com o nome de ESCOLA DE JATOBÁ – Ensino de 1º e 2º Graus.

Fonte:  DE JATOBÁ A PETROLÂNDIA – Três nomes, uma cidade, um povo,  MENEZES, Gilberto de. Editora Bagaço, 2014.= pags. 143 , 145 e 151.

IGREJA

Documento de criação da Paróquia de Petrolândia Decreto

Plebiscito promovido pelo Padre José Maria de Almeida Leitão para escolha do projeto de edificação da Igreja Matriz quando da construção da nova cidade de Petrolândia Cédula de Consulta

Resultado do plebiscito Apuração dos votos

Pedido de esclarecimento de Padre José Maria à CHESF Carta

Resposta da CHESF Carta à paróquia    

Carta da CHESF à Diocese Carta